jusbrasil.com.br
23 de Junho de 2018

Por que muitos Advogados não cobram a tabela da OAB?

Evinis Talon, Advogado
Publicado por Evinis Talon
há 6 meses

Leia o artigo diretamente no meu site (leia aqui), veja meu curso online de Penal, Processo Penal e Execução Penal (clique aqui) e conheça o International Center for Criminal Studies (clique aqui).

Temos mais de um milhão de Advogados no país, além de uma quantidade absurda de bacharéis e estudantes de Direito.

Apesar de tantos interessados na área jurídica, a realidade tem gerado uma crise no mercado, especialmente no que concerne aos valores dos honorários. É de conhecimento geral que os recém-formados possuem uma enorme dificuldade: não conseguem cobrar o valor indicado na tabela de honorários da OAB.

Ocorre que, como decorrência do excesso de Advogados, muitos profissionais com décadas de carreira também estão passando por esse problema.

Considero, entretanto, que a dificuldade para cobrar o que é definido pela tabela da OAB não é resultado apenas da quantidade de Advogados no país. Há outros fatores que contribuem para que muitos profissionais não consigam cobrar um valor justo pelos seus serviços.

Explico: enquanto alguns Advogados não cobram a tabela da OAB (muitos cobram menos de 10% da tabela), outros profissionais são remunerados por seus serviços por meio de honorários que representam uma multiplicação da tabela (dobro, triplo, quádruplo etc.). Esses dois tipos de Advogados convivem no mesmo país, com a mesma quantidade de Advogados, mas possuem posturas distintas. Alguns fazem coisas que outros não fazem.

Aliás, há Advogados qualificados, com enorme conhecimento jurídico, que não conseguem cobrar o que recomenda a tabela da OAB. No plano remuneratório, a experiência é apenas mais um (e não o único) fator que define o valor dos honorários.

O principal ponto que deve ser destacado é a necessidade de que o valor do Advogado (sua qualidade) seja perceptível. Na Advocacia, parece-me que um mediano com notoriedade tem mais chances de cobrar valores justos do que um intelectual invisível. Obviamente, é preferível ser um intelectual com notoriedade.

Para sobreviver no mercado jurídico, o Advogado precisa ter diferenciais, isto é, qualidades que sejam determinantes para a sua contratação. Caso contrário, o único diferencial será o valor dos honorários e, consequentemente, será impossível cobrar um valor justo.

Nesse ponto, o Advogado deve questionar-se: por que alguém me contrataria? No que sou melhor que a concorrência? Essa qualidade que acredito ter é percebida por outras pessoas?

Assim, é imprescindível que o Advogado trabalhe a sua imagem pública, destacando os seus diferenciais. Há Advogados que se destacam pelo aspecto intelectual. Outros se tornam conhecidos pela oratória. Há quem adquira relevância por ter contatos importantes.

Até ter resultados anteriores e indicações que justifiquem o valor cobrado, o Advogado passa por um caminho preponderantemente solitário (salvo parceiros e sócios).

Na definição dos honorários, o primeiro passo é deixar de cobrar valores inferiores aos da tabela da OAB. Em seguida, deve-se adotar como regra inflexível a cobrança, em relação a todo e qualquer cliente, dos valores definidos na tabela, salvo eventual atuação “pro bono” com foco na responsabilidade social do escritório. Por fim, com a elevação dos honorários, o Advogado pode chegar a um estágio em que apenas aceita clientes que tenham sido indicados, evitando o atendimento de quem tenha encontrado seu número de telefone na internet e não esteja procurando qualidade e experiência, mas sim preço.

Conquista-se essa imagem de valor (e que gera valor) por meio de inúmeros atos diários que, isoladamente, são imperceptíveis, mas somados constituem uma unidade importante. Lembro-me, por exemplo, de um Advogado que, após ler um dos textos em que eu recomendava a publicação de artigos como marketing de conteúdo, indagou-me sobre a ausência de resultados após ter publicado um texto no jornal de sua cidade. Como se percebe, um ato isolado na carreira, salvo raríssima sorte, não fará diferença.

Ter cursos de pós-graduação faz a diferença? Fazer vários cursos de extensão é importante? Depende. Se esses diferenciais não forem publicizados, não haverá impacto na cobrança dos honorários. Da mesma forma, se forem publicizados apenas para quem não considera essas conquistas como diferenciais (prospectos que apenas desejam um Advogado que cobre um valor mais baixo), o Advogado será visto como apenas mais um no mercado.

Assim, para que todo o esforço não seja em vão, é imprescindível construir diferenciais e publicizá-los a quem realmente os valoriza.

100 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Professor Evinis, o senhor foi Defensor Público alguns anos e sabe o que é ter uma grana pingando na conta regularmente, faça chuva ou faça sol...
Deixou, por mera liberalidade, o serviço público para migrar para uma carreira solo...
Agora sabe o que é que nós, advogados autônomos, passamos na pele...

Evinis, se a chama ardente da advocacia não estiver no sangue do profissional, quaisquer descontentamento o faz mudar de ramo. Tenho visto isto todos os dias, pois cursar Direito está 'na moda'.

Todavia, como o Direito está na sua veia e na minha, a regra é esforçar-se, criar nome, renome, estudar, apresentar 'as credenciais' aos clientes, valorizar o trabalho desempenhado, e, no meu caso, sonho em chegar a este nível que o senhor pontuou no seu texto que acabei de ler:
"Por fim, com a elevação dos honorários, o Advogado pode chegar a um estágio em que apenas aceita clientes que tenham sido indicados, evitando o atendimento de quem tenha encontrado seu número de telefone na internet e não esteja procurando qualidade e experiência, mas sim preço".

Recebo ligações de pessoas apenas interessadas em tirar uma 'duvidazinha'... e essa 'duvidazinha' consome 10 ou 15 minutos do meu precioso e valoroso tempo...
Na hora que convido o camarada para comparecer ao meu gabinete e pagar R$200 para maiores informações, prometendo sanar todas as suas dúvidas, e, que ele, de fato, me contrate para efetiva resolução de sua demanda, ele dá um tremendo ré!

Sabe mais? Muitos almejam apenas informação 0800 (gratuita) e eu, pelo menos, preciso de grana para viver, comer, vestir, manter meu escritório, meus assistentes, pagar capacitação e seminário, comprar manuais, etc... continuar lendo

parece texto da OAB...

A verdade é que quase ninguém paga a tabela da OAB pq a classe advocatícia brasileira é a mais DESUNIDA do país, quiçá do mundo.

Do que adianta o advogado A cobrar a tabela da OAB se o B cobra a metade??
Virou mercadão.

Faxineira, cobra o valor igual ao que as outras cobram, com pequeníssima margem de variação 9faça vc mesmo essa pesquisa), pq que o advogado não pode???

Classe desunida. continuar lendo

Realmente, o colega apontou o ponto chave. A classe mais desunida que existe. Perdi as contas de quantas vezes já vi colega colocando defeito no trabalho de outro apenas para convencer o cliente a contratá-lo. Não tem como cobrar um valor justo se o colega do escritório da frente cobrará menos de 1/3. continuar lendo

Desculpe-me 0001Ps, mais perde descarado para a desunião na Educação, Saúde e Segurança, todas do setor público é claro, também. continuar lendo

Esse negócio de tabela de valor para serviços não seria uma forma de cartelizar os preço.

Tipo assim, se um dono de posto de gasolina se reunir com todos os outros donos de postos de gasolina do mesmo bairro ou cidade dentro de um sindicato e combinarem cobrar um valor único isto não seria errado?

Por que então para a OAB não é?

As pessoas têm que ser livres pra cobrarem o valor que elas achem justo pelo seus serviços e produtos, e não um sindicato determinar isso.

Se OAB fosse opcional nem 1/4 estaria associado.

OAB nada mais é que um sindicato de engravatados pra criar reserva de mercado estabelecendo valores mínimos e que em nada apoiaram seus associados e enfiam goela abaixo uma anuidade bem salgada por ano pra excercer a profissão. continuar lendo

Boa, Daniel. É sim o conceito da formação de cartel. Se fossem empresas combinando valores de produtos ou serviços, o CADE caia em cima. continuar lendo

Classe mais desunida do país....?

Amigo, eu me formei em Educação Física. Jamais fale mal da sua classe, você não sabe o que é uma classe desunida. Não tive estômago pra continuar na área nem 1 anos após me formar e larguei a profissão. Tem gente formada se submetendo a um dia de trabalho em academia em troca de um LANCHE. Um lanche, amigo.

Entenda: desunião não é mal de nenhuma classe específica, mas sim da sociedade que está disposta a se submeter a situações degradantes em troca de migalhas. Some isso à dificuldade financeira que muitos vivem, e o resultado não poderá ser diferente. continuar lendo

É ridículo existir uma tabela, cada profissional que cobre quanto seu cliente quiser/puder pagar, igual TODOS OS OUTROS PROFISSIONAIS. Advogado não é diferente de nenhuma outra profissão, e não tem que ganhar um percentual do valor da causa. Todas as profissões passam um orçamento e o cliente decide fazer ou não, menos advogado e corretor de imóveis, que exigem um percentual do valor da causa do do imóvel. O serviço do advogado é como de qualquer outro, o cliente deve fazer orçamento com vários e decidir entre o custo/benefício de cada um. continuar lendo

Desculpe, seu direito a uma opinião legítima e com liberdade é fato primordial. Contudo, mesmo havendo a tabela de honorários mínimos da OAB o advogado encontrar enorme dificuldade em cobrar honorários que lhe dê a retribuição pelos anos de estudo e dedicação, e de acordo com a dedicação que tem a seus clientes. Existem na profissão colegas que cobram honorários que envergonhariam prestadores de serviços para os quais não exigem nenhuma formação acadêmica, profissões honradas contudo, mas que são aprendidas com prática.
Não creio que você seja advogado, desculpe se eu estiver enganado, mas é muito comum o cidadão ligar para o seu escritório e imaginar que não haveria cobrança de consulta, ou um valor justo, que possibilite o profissional do direito, ficar meses e meses dedicando-se ao processo de seu cliente, não raras vezes anos, e neste caso receber um honorário que não o remunere por tal dedicação. E o pior de tudo, as vezes deparar com um despacho, sentença, ou qualquer outra decisão de operadores do direito, que não possuem fundamentação, ou que não se ateve ao requerido no processo, e que vão simplesmente dar mais trabalho ao advogado em questionar, opor recurso, e por vezes eivadas de suspeição, dificultando o trabalho do advogado. Esquecem que eles utilizam salas de audiência, salas próprias, com ar condicionado, luzes, auxiliares, além de veículo para locomoção custeados pelo povo brasileiro, e no final do mês um salário muito bom...Enquanto o advogado tem que pagar tudo com o que ganhará de seus clientes...
Por outro lado, no Brasil, médicos, professores, policiais não tem valor nenhum, e também nós da área do direito apesar necessários na defesa dos interesses do cidadão, não temos valor algum. continuar lendo

A maioria das categorias profissionais possuem tabela de honorários. Se informe melhor ok ! continuar lendo

@ecso
Quer dizer que advogar não se aprende na prática?

A maioria dos formados e recém OAB, mal sabem se portar na frente de juiz. Treme, sua e se borra todo em sua primeira audiência.

Se a pessoa for capaz no dia a dia irá saber lidar com essa situações.

Além disto, conheço muitos que por interesse próprio, sem ter fetito faculdade, são mais capazes de redigir uma petição que muitos OAB por aí.

O fato de você ter estudado muito e se dedicado a uma causa não torna-se obrigatório seu reconhecimento financeiro.
Seu reconhecimento se dará em satisfazer a demanda de seus cliente. Quanto melhor for nisso aolongo do tempo melhor será reconhecimento.

Eu posso colocar um jovem desde seus primeiros anos de vida a jogar bola. Se ele não for bom, nem na várzea irá jogar. continuar lendo

Alex, não sou advogado, mas minha atividade tbém exige o lado humano, e qdo uma profissão te exige lidar com pessoas e praticar a arte do empenho de causas em arrazoamento, pode ter certeza que não é um trabalho como qqer outro não. Diferente da pendência de convencer um juiz ou um orgão que pode zerar o teu esforço de meses de trabalho (ou mais), mesmo que vc não convença o teu exigente patrão, o teu sempre estará lá em certa data do mês. Isso se não houver comodidade da tua parte, claro. continuar lendo

Concordo, Alex F. Faço minhas as suas palavras! Excelente! Da mesma forma que outros profissionais tem a liberdade de fixar seus honorários, nós deveríamos ter essa flexibilidade também, sem precisar de "tabelas". continuar lendo

Perfeitas as colocações do Estevão Costa Soares e do Hight Jr. Grande parte das profissões, até mesma aquelas que ainda não são regulamentadas, como a do fotógrafo, têm um tabela de referência para cobrança de seus serviços.
Ninguém é obrigado a seguir a tabela. Também não concordo que a classe dos advogados é "a mais desunida de todas".
Desse modo, penso que a coluna demonstrou equilíbrio nas orientações ao adotar um critério para o profissional no sentido de que tentasse se parametrizar pelos valores constantes da tabela da OAB. continuar lendo

'O serviço do advogado é como de qualquer outro'... Alex F., tu é tonto assim mesmo ou só está querendo aparecer? Algumas ações podem durar 2, 4, 8, até 10 anos... imagine vc, trabalhando todo esse tempo pra não ganhar nada ao final. Agora, pense um pouco, como esperar dedicação profissional sem remuneração ? Esse é o problema, existe um monte de imbecil feito você, achando que Advogado não faz porra nenhuma, não tem preocupação alguma, que tudo é fácil e tranquilo.

A questão não é se o cara estudou muito ou não pra ser Advogado, mas sim o trabalho duro que ele desenvolve, ao longo de cada processo, por meio de interposição de recursos e uma série de outras demandas, tudo para garantir o direito de idiotas como você...

Ridículo é existir um otário como você e o Vovô Daniel, ambos falando bobagem! continuar lendo

Não adianta cobrar mesmo porque muitos cobram pegam a causa mas nada fazem estou tendo problema com uma advogada paguei para o divórcio e ela não fez praticamente nada antes tivesse pego um defensor público continuar lendo

É por causa de uns advogados que não trabalham corretamente que acabam manchando a classe. continuar lendo

Você já mudou de tema. Isso aí realmente acontece, mas são outros 500. Cobrando caro ou barato, eventualmente um advogado pode (não deve, mas pode) vir a não atuar da forma esperada pelo cliente, dentro de um prazo razoável. Escolher advogado que cobra barato, esperando que ele não vai fazer nada, ou que cobra caro, achando que ele irá superar suas expectativas, não fara´diferença. Sempre haverão clientes insatisfeitos com seus patronos, e isso naõ tem nada a ver com o tema aqui discutido. Não que não seja um bom tema de discussão, mas não é o caso aqui nesse artigo. continuar lendo